Marketing Digital Sites

O que não pode faltar em um site de paróquia?

O que não pode faltar em um site de paróquia?

Com o avanço da comunicação por meio das mídias digitais, a Igreja tem se posicionado de modo muito coerente para alcançar homens e mulheres que, por algum motivo, não estão acessíveis – em primeiro momento – num encontro pessoal. Muitas são as ferramentas utilizadas: redes sociais, aplicativos. Mas os sites ainda são a referência de endereço no ambiente virtual.

Muitos, no entanto, pensam que basta ter meios de comunicação digitais para alcançar os objetivos necessários, no caso dos sites católicos, evangelizar. Não é bem assim! Primeiro, é preciso planejar bem quais as estratégias que serão usadas, e definir o que será explorado. Separamos para você algumas dicas do que não pode faltar no site da sua paróquia.

1. Identidade visual

O que geralmente chama atenção quando alguém entra em um site é o layout com sua identidade visual. Portanto, umas das coisas mais importantes e criteriosas na elaboração de um site é criar um padrão estético de apresentação.  Pensar nas cores que estejam mais próximas dos objetivos do site, da vida do padroeiro, do público alvo da evangelização da paróquia; as janelas, disposição de imagens, entre outros. Esses detalhes técnicos podem ser observados com o designer – profissional que desenvolve a identidade visual – que fará o trabalho.

2. Informações institucionais e contatos

Como foi dito, um site de paróquia é um meio da comunidade estar representada no ambiente virtual. Por isso, não se pode esquecer das informações institucionais e históricas:

  • História da paróquia;
  • Breves biografias dos párocos que passaram;
  • A vida do padroeiro – como referência de santidade para fiéis;
  • A localização (algo que tem sido muito usado hoje é o Google maps para situar as localidades);
  • Telefones, e-mails, horários de funcionamento da secretaria paroquial;
  • Horários de missa e confissões;
  • Vida pastoral (quais as pastorais que atuam na paróquia, projetos, ações missionárias, etc) .

3. Redes sociais

É possível criar um link entre as redes sociais da paróquia e o site. Trata-se de um modo de apresentar aos usuários onde a comunidade pode ser encontrada e estimular a interatividade, oferecendo a possibilidade de as pessoas estabelecerem um relacionamento.

4. Conteúdo multimídia

Algo que atrai muito as pessoas aos sites católicos, sobretudo a juventude, são os conteúdos de vídeo, áudio, fotos etc. Criar um álbum de fotografias dos eventos da paróquia, disponibilizar áudios das homilias em formato de podcasts, vídeos com reflexões do evangelho ou formações, são iniciativas que podem gerar muito acesso.

5. Menu organizado

Um item importante – e que, de certo modo compõe a identidade visual – é a  organização. Ainda que pareça ser um volume grande de informações, a justaposição delas no menu fará toda a diferença. É preciso esquematizar com a produção do site para que fique tudo organizado. O ponto chave aqui é a harmonia visual e funcional dos itens.

6. Conteúdos de relevância

Não adianta ter um site pronto e não reproduzir conteúdos de relevância nele. É importante fazer um bom planejamento de marketing digital para que as estratégias sejam alinhadas com a pastoral da comunicação e as demandas da paróquia. Pode ser estruturar uma série de temas de formação, agenda de eventos, iniciativas de promoção do dízimo para que, com frequência, o site seja alimentado e siga evangelizando. Outra possibilidade é a criação de blogs dentro do site: do pároco, da pastoral vocacional, da catequese, da liturgia. Todos esses assuntos são importantes para a vida paroquial e atraem a atenção das pessoas para o que é essencial.