Pascom

Como a tecnologia está transformando o trabalho da Pascom

Como a tecnologia está transformando o trabalho da Pascom

Sua equipe na Pascom consegue entender e acompanhar as mudanças que a comunicação católica vem passando nos últimos tempos? Pois, saiba que estas mudanças já acontecem há anos e a Igreja vem acompanhando e aderindo aos novos meios e canais para propiciar uma comunicação efetiva que cumpra a missão que o próprio Cristo nos deu: “Ide, pregai o evangelho a toda criatura”.

A comunicação faz parte da vida da Igreja há muito tempo e está ligada diretamente à sua missão evangelizadora. Nos primórdios, tratava-se de uma comunicação boca a boca, onde a mensagem poderia levar meses ou até anos para alcançar as comunidades. Os séculos foram passando, surgiu a imprensa, o rádio e a televisão, que também avançaram a comunicação eclesial.

“Os meios de comunicação contemporâneos são portadores de uma nova cultura, a medida em que seu modo de funcionamento – reduzindo tempos e encurtando espaços –  leva a transformar a relação tradicional com os outros e com o mundo”, (Documento nº 99, p.137, parágrafo 177).

Com a chegada de novas mídias, intensificou-se ainda mais a aproximação das lideranças da Igreja com o cotidiano da população, para além do espaço da missa. Hoje, tudo chega muito mais rápido aos fiéis que, pelas redes sociais e outros meios, acompanham transmissões ao vivo do conforto de suas casas.

A evolução da Comunicação Católica

A evolução da comunicação Católica

Desde a carta em comemoração ao 1º Dia mundial das Comunicações em 1967, o Papa Paulo VI já expressa sua satisfação com o surgimento da imprensa, do rádio e da televisão e também com o novo momento da Igreja. Na carta, o pontífice diz: 

“Graças a essas maravilhosas técnicas, a convivência humana assumiu dimensões novas: o tempo e o espaço foram superados, e o homem tornou-se um cidadão do mundo, co-participante e testemunha dos acontecimentos mais distantes e das vicissitudes de toda a humanidade.” 

Se naquele ano nós havíamos nos tornado cidadãos do mundo, hoje podemos estar presentes no mundo inteiro através das ferramentas disponíveis. E se as tecnologias de comunicação se desenvolveram a este ponto, cabe à Igreja acompanhar tais transformações, por isso a importância das equipes de Pascom ou comunicação religiosa se apropriarem destes espaços e se tornarem protagonistas deles.

É possível perceber também que a comunicação não é uma preocupação apenas de quem atua com comunicação católica, mas também dos líderes da Igreja, a começar pelo Papa. Um exemplo claro disto é a relação dos últimos três Papas com a comunicação digital:

  • Papa João Paulo II: Após assumir o pontificado utilizou o rádio, a TV e a internet para evangelizar.
  • Papa Bento XVI: Apesar de ter personalidade mais sóbria e se comunicar bastante por meio de documentos escritos, estava ciente da importância dos recursos digitais e se utilizava deles. Sua primeira postagem no Twitter foi em 12 de dezembro de 2012.
  • Papa Francisco: Tem seu próprio perfil no Twitter em algumas das línguas mais faladas no mundo, mantém publicações em sites e blogs em seu nome, está sempre se comunicando através da internet.

Como podemos ver, nos últimos três pontificados aconteceu uma transição para uma comunicação mais digital. Com João Paulo II temos o início da ascensão da internet, e com a presença do Papa Francisco nas redes sociais a importância deste novo canal se torna nítida. E é neste ponto que a comunicação ganha nova forma.

O “Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil” destaca que este tempo de comunicação global “proporciona o surgimento de novos ambientes de interação social, que possibilitam a homens e mulheres desenvolver novos modos de ser pessoa, de estar na sociedade, de ser comunidade e de viver a fé” (Doc nº99 da CNBB, p.19 parágrafo 16).

A chegada da internet e das redes sociais

A chegada da internet e das redes sociais

“Sendo a base tecnológica da sociedade em rede, a internet constitui o tecido que conecta as relações humanas daqueles que a ela têm acesso” (documento nº 99, p. 136 parágrafo 179).

Criada em 1969, a internet passou a se popularizar somente na década de 80, quando começou a ganhar um espaço de destaque na comunicação por ser um meio que aproximava pessoas que estavam fisicamente distantes.

Inicialmente desenvolvida para ambientes de pesquisa acadêmica, a internet se tornou indispensável quando falamos da forma com que acessamos e compartilhamos informações na atualidade.

Um agente muito importante neste processo foi a popularização das redes sociais que, impulsionadas pela democratização dos smartphones e do acesso à rede, transformaram a interação entre diferentes grupos na sociedade. 

Através deste novo espaço a comunicação ganhou vozes diversas que passaram a se organizar online e se comunicar de igual para igual com marcas e instituições.

Um “novo jeito” de comunicar estimulado pelas redes sociais

Um “novo jeito” de comunicar estimulado pelas redes sociais

Com as redes sociais a comunicação passou a  ser muito mais humana, interativa e cada vez mais rápida. Só no Brasil 88% da população está nas redes sociais, o que indica o grande nível de popularidade destes canais.

Mas de que forma isto muda a comunicação? Se antes havia um emissor de mensagens (uma revista, ou um canal de TV, por exemplo) e um receptor (audiência) que não dava um feedback e nem respondia à comunicação recebida, hoje as pessoas conseguem rapidamente se pronunciar sobre as mensagens que recebem das empresas. Essa mudança passou a exigir das instituições maior autenticidade e responsabilidade sobre o que comunicam e como o fazem.

Além disso, os canais digitais têm em sua essência a conectividade. Eles propiciam uma rede de diálogo que, se utilizada com verdade, reforça os laços entre as pessoas. Os fiéis católicos que estão nas redes sociais não esperam por uma resposta pronta, eles querem interatividade em tempo real e atenção, sobretudo em tempo real.

Uma notícia que demora a ser publicada se torna velha rapidamente devido à rapidez da informação. Uma postagem em um feed de notícias precisa não só ser bem planejada, mas também precisa transmitir novidade para gerar engajamento.

Quer saber como planejar bons conteúdo que engajam? Este blog-post pode te ajudar.

Os fiéis buscam não só a informação, mas uma conversa em tempo real, buscam identificação. Eles demandam conteúdos que representam quem eles são, e é isso que os motiva a compartilhar posts com seus amigos e seguidores. 

Dessa forma, quanto mais sua instituição for capaz de construir conteúdos relevantes para os valores dos seus seguidores, mais alcance conquistará na rede.

Ferramentas que ampliam a comunicação da Pascom

Ferramentas que ampliam a comunicação da Pascom

As redes sociais são um bom início para o trabalho da Pascom, mas não indicamos que o esforço de comunicação fique restrito apenas a elas. Isso, porque elas trazem um limite no alcance de usuários para quem elas apresentam o seu conteúdo sem que você pague para impulsioná-lo.

Esse trabalho é feito pelos algoritmos que, se por um lado selecionam para seu feed apenas conteúdos que interessam aos usuários, por outro limitam o alcance das publicações das instituições, criando “bolhas” de audiência difíceis de romper.

Somado a isso, existem também as pessoas que não são muito familiarizadas com as redes sociais, e para elas outros canais podem ser mais efetivos. Isso faz com que a Pascom precise criar uma rede de contato que alcance o fiel onde ele gosta de estar, e apresentar o conteúdo no formato da sua preferência. 

Para compor essa rede de relacionamento, sua Pascom conta com ferramentas que podem auxiliar, aperfeiçoar e alavancar a comunicação na igreja. Você está familiarizado com cada um?

Sites e blogs católicos

Sites e blogs

Os sites são páginas online que são utilizados como espaços oficiais de comunicação da Igreja. Estes podem apresentar todo o histórico da comunidade em formato de linha do tempo com fotos, notícias, vídeos, podcasts e textos.

Além de poder contar com estes recursos multimídia, o site costuma facilitar para os fiéis o acesso a informações sobre a instituição, como telefones, horários de atendimento, cronograma das missas e espaço propício para o envio de mensagens.

Veja nosso post 5 coisas que um site paroquial não deve ter

Outro recurso poderoso do site são os blogs, que são espaços em que a instituição pode criar conteúdos escritos e disponibilizá-los para suas pastorais produzirem conteúdos apoiados pela Pascom. Esse espaço também é utilizado normalmente para que os padres e bispos compartilhem ensinamentos ligados ao evangelho que sempre estarão disponíveis à audiência.

Aplicativos católicos

Aplicativos católicos

No Brasil há aproximadamente 420 milhões de aparelhos digitais inteligentes, o que é, em média, dois smartphones por pessoa. Outro dado que encontramos é que existe uma média de 30 aplicativos por celular e, se um deles for da sua instituição, você tem melhores chances de estar presente na vida cotidiana de seus fiéis.

Os aplicativos têm funcionalidades que facilitam não só a vida dos usuários, mas das instituições católicas. Com eles é possível fazer arrecadação do dízimo online, criar agendamentos, encontrar comunidades através de GPS, enviar mensagens, criar salas de bate-papo, criar espaços de discussão, ter áreas restritas às lideranças ou pastorais e muitas outras funções integradas aos sites e blogs.

Neste blog-post organizamos as principais informações que você precisa saber sobre os aplicativos, não deixe de ler!

Webmail

Contas profissionais de e-mail que sejam pertencentes e controladas pela instituição são importantes para aumentar a confiabilidade das comunicações.

Além disso, manter o controle do webmail institucional permite que as paróquias/dioceses não percam informações quando as pessoas responsáveis por certa área deixam de colaborar. As informações da Igreja permanecem com ela.

Plataforma de E-mail Marketing Outra ferramenta que agiliza e aproxima a comunicação com os fiéis. Esta plataforma permite o envio de e-mails para uma lista de contatos dos fiéis criada por sua instituição. Estas listas podem ser organizadas por setor, lideranças ou qualquer outra segmentação pretendida pela Igreja. Veja nosso post E-mail marketing: Uma estratégia para o relacionamento com os fiéis Ter uma plataforma garante um contato dinâmico com os fiéis e ainda permite que você acompanhe de forma prática a evolução de envios, quantas pessoa abriram o e-mail, quantas rejeitaram, quais e-mail estão desativados, entre outras informações. Como pudemos ver, são muitas as ferramentas que podem auxiliar no avanço da comunicação para além daquilo que as redes sociais podem entregar. Elas não substituirão as contas sociais, mas complementarão a atuação da Pascom e impactarão seus fiéis onde eles prefiram estar.

Plataforma de E-mail Marketing

Outra ferramenta que agiliza e aproxima a comunicação com os fiéis. Esta plataforma permite o envio de e-mails para uma lista de contatos dos fiéis criada por sua instituição. Estas listas podem ser organizadas por setor, lideranças ou qualquer outra segmentação pretendida pela Igreja.

Veja nosso post E-mail marketing: Uma estratégia para o relacionamento com os fiéis

Ter uma plataforma garante um contato dinâmico com os fiéis e ainda permite que você acompanhe de forma prática a evolução de envios, quantas pessoa abriram o e-mail, quantas rejeitaram, quais e-mail estão desativados, entre outras informações.

Como pudemos ver, são muitas as ferramentas que podem auxiliar no avanço da comunicação para além daquilo que as redes sociais podem entregar. Elas não substituirão as contas sociais, mas complementarão a atuação da Pascom e impactarão seus fiéis onde eles prefiram estar.

A Pascom tem espaço na comunicação contemporânea

A Pascom tem espaço na comunicação contemporânea

O Papa Francisco, na carta ao 53° Dia Mundial das Comunicações, destaca a importância das novas ferramentas como recurso para o encontro da comunidade e da família, “somos membros uns dos outros”.

As ferramentas contemporâneas de comunicação são recursos que propiciam e fortalecem o encontro, estas não o substituem, o contato pessoal e humano ainda é o melhor contato, mas se este pode ser aproximado através de uma boa comunicação online, é muito válido e necessário.

“Assim, podemos passar do diagnóstico à terapia: abrir o caminho ao diálogo, ao encontro, ao sorriso, ao carinho… Esta é a rede que queremos: uma rede feita, não para capturar, mas para libertar, para preservar uma comunhão de pessoas livres. A própria Igreja é uma rede tecida pela Comunhão Eucarística, onde a união não se baseia nos gostos [likes], mas na verdade, no «amém» com que cada um adere ao Corpo de Cristo, acolhendo os outros” (Carta ao 53° dia das Comunicações Sociais).

Há muito espaço para a Igreja na comunicação moderna, e se adaptar a estes novos tempos é essencial para que sua missão primeira, que é levar o evangelho, possa ser cumprida. 

Ferramentas como sites, aplicativos e plataformas de automação de e-mail estão disponíveis para ajudar as equipes a aprimorar e alavancar a comunicação da comunidade. Além disso, existem times dispostos a auxiliar os comunicadores católicos a conhecerem e especializarem suas estratégias de comunicação. 

Na Parresia, acreditamos que juntos vamos mais longe, e se você quiser saber como nossas ferramentas podem ajudar a deixar sua comunicação mais atual, sinta-se confortável em conversar com um especialista!

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário