Comunicação Católica

Comunicação na Igreja: Como identificar prioridades

Depois de já termos descrito os primeiros passos para a implantação da Pascom em sua instituição, nesta postagem falaremos de algo bastante comum quando o trabalho de comunicação na Igreja está começando a ser organizado: frente a tantos possíveis objetivos da instituição, qual a melhor forma de priorizar as ações?

Vamos ajudá-lo a organizar esse trabalho de forma prática, vem com a gente!

Você já mapeou as necessidades iniciais?

A primeira coisa necessária quando chegamos em um espaço de trabalho em comunicação é entender quais são as primeiras necessidades que as pessoas que estão naquele ambiente já podem ter percebido. 

Indicamos que você procure em primeiro lugar a liderança religiosa, para receber uma visão geral das principais necessidades. Em segundo lugar, trazemos para conversa outros membros ativos na comunidade, como os membros de pastorais.

Eles poderão nos atualizar sobre os projetos de suas pastorais, como estão sendo comunicados, se estão alcançando os resultados esperados e quais serão as próximas ações que precisarão ser divulgadas. Também busque levantar as maiores dificuldades que eles têm em seus trabalhos e que possam estar relacionadas com o trabalho de comunicação.

Dessas conversas você já sairá com um retrato bastante fiel das frentes em que a Pascom poderá atuar. A partir disso, somamos a esse material coletado nosso próprio olhar que trazemos em relação às principais carências, tanto aquelas que envolvem as ações que já ocorrem, quanto às que vemos que precisam ocorrer.

Com essas informações montamos um mapeamento de necessidades que retornaremos ao padre ou ao bispo para mostrar o que foi identificado e seguir para nosso próximo ponto, que é a organização desses materiais.

Quais devem ser os objetivos prioritários? 

Na conversa com a liderança precisamos abrir as principais “dores” e oportunidades que mapeamos, para elegermos a prioridade que daremos a elas, já que não podemos atuar em todas ao mesmo tempo, por mais que queiramos.

Trouxemos algumas dores e objetivos para simular este planejamento com você:

Dores: 

  1. Pastoral do Dízimo está com dificuldade em aumentar número de contribuintes;
  2. A instituição tem conta em redes sociais mas sem nenhum engajamento dos fiéis, o que afeta a divulgação de todas as ações da Igreja;
  3. A Pascom tinha muitos desafios em fazer suas mensagens alcançarem as pessoas da comunidade.

Objetivos: 

Consolidar a divulgação de trabalhos sociais para que a comunidade reconheça os trabalhos das pastorais

Uma parte muito importante de executar um trabalho social é sua divulgação, já que ela trará reconhecimento para o que está sendo feito e facilitará o compromisso das pessoas em contribuir para aquele projeto. Dificilmente colocamos tempo ou dinheiro em ações cujos resultados não conhecemos, certo?

Aumentar número de paroquianos

Este objetivo é caminho para a missão maior da Igreja (que é levar a palavra de Cristo para mais pessoas), e também ajuda na sustentação das atividades paroquiais, já que ter mais paroquianos pode significar ter mais pessoas engajadas com a evangelização.

Melhorar ações de comunicação com a comunidade

Investir nesse objetivo seria importante porque compartilhando conteúdos melhores e mais relevantes em suas redes a Pascom amplia com o tempo o envolvimento com a comunidade. Esse é um passo inicial significativo para objetivos futuros que requeiram acesso às pessoas.

Melhorar a facilidade de encontro das informações por parte dos fiéis

Essa é uma grande dor da Pascom, pois muitas informações sobre o funcionamento das atividades da Secretaria e do calendário de ações estão coladas no mural da Igreja, mas muitos fiéis não têm acesso fácil a esses conteúdos.

Na conversa com o líder religioso o objetivo é que, no final dela, tenhamos os objetivos imediatos definidos, e apresentamos abaixo uma forma prática de construir isso. Veja!

Priorize objetivos por seu impacto estratégico versus seu volume de trabalho

Uma boa maneira de priorizar objetivos é entender qual deles tem maior impacto para as outras frentes de trabalho listadas e, ao mesmo tempo, requerem um volume de trabalho viável para os recursos disponíveis. Com isso, podemos dizer que estamos buscando hierarquizar objetivos e localizar aqueles mais estratégicos.

Utilizando ainda o exemplo que trouxemos, podemos hierarquizar dessa forma:

Prioridade 1 – Melhorar ações de comunicação com a comunidade:

Criar um planejamento pautado nesse objetivo inicial é mais estratégico, porque os resultados deste trabalho irão impactar grande parte das dores e também contemplarão os demais objetivos.

Leia nosso post Criando um cronograma de conteúdo para as redes sociais da Igreja

Uma comunicação eficiente abrirá portas de engajamento e presença no cotidiano das pessoas através dos canais que a instituição usa (ex: aplicativo, site, redes sociais), e poderemos usar esta porta aberta para divulgar ações e atrair mais pessoas da comunidade para as atividades da Igreja.

Ao mesmo tempo, o trabalho que esse objetivo exigirá envolve um planejamento de conteúdos que podem ser criados e compartilhados no site da sua instituição e nas redes sociais. Esse planejamento pode ser feito em um documento ou em uma planilha como essa aqui que preparamos para você baixar gratuitamente!

Se você precisar de dicas de como criar conteúdos relevantes, veja esse texto com propostas práticas que preparamos! 

Prioridade 2 – Melhorar a facilidade de encontro das informações por parte dos fiéis

Uma avaliação que deve ser feita em paralelo ao primeiro objetivo é tomar cuidado para não iniciar novas ações sem avaliar se os canais são adequados e se estão sendo usados corretamente.

Os canais mais tradicionais na Igreja hoje são os murais (onde são colados lembretes), jornais, redes sociais, sites e, cada vez mais, aplicativos católicos próprios, que expandem o alcance das ações da Pascom. 

Para checar a eficiência dos seus canais, invista um tempo procurando conversar com as pessoas pra entender se o mural está posicionado em um lugar suficientemente visível, se pessoas com perfis diferentes já encontraram as redes sociais da Igreja para buscar informações, e também se o site da instituição é localizado na primeira página de resultado dos buscadores.

Sua comunidade ainda não tem um site? O post Por que minha paróquia precisa ter um site católico? pode tirar possíveis dúvidas.

Melhorar a facilidade de encontro das informações por parte dos fiéis é uma ação que vai depender somente de você, e fazer esse dever de casa vai evitar que você execute o objetivo inicial (melhorar ações de comunicação com a comunidade) em canais que não foram avaliados, podendo representar um esforço desperdiçado, e nós não queremos mais isso, certo?

Com o planejamento de ações à frente, mapeie as pessoas que podem contribuir com você na criação dos conteúdos, como os membros chave das outras pastorais. 

Também busque conhecer os recursos disponíveis para poder planejar os materiais, focando inicialmente em ações que não sejam complexas, ou precisem de muita infraestrutura. 

Avalie os resultados para ajustar as ações

Finalizando este post, não se esqueça de colocar um tempo para executar as estratégias e poder avaliar os resultados durante este tempo. No caso do planejamento que simulamos, por exemplo, se organize para executar as ações planejadas nele por três meses, e ao final disso você para e olha quais ações tiveram mais resultados e foram melhor aceitas.

Não podemos mais atuar com comunicação sem manter um olho na relevância e outro olho nos resultados do trabalho. Vamos construindo aos poucos, avaliando os resultados e crescendo a audiência da Igreja!