Destaque Marketing Digital

Marketing Digital, por que investir na evangelização?

A Igreja tem um objetivo incontestável: evangelizar. E o mundo digital de hoje, que está ao alcance da maioria dos fiéis, permite que isto aconteça com mais facilidade. 

Se o fiel tem acesso às informações e contatos de sua diocese, paróquia e/ou comunidade simplesmente com um toque ou clique, a Boa Nova tem maiores chances de chegar a todos os cantos, e proporcionando experiências diferentes de evangelização. 

Entretanto, é necessário investir em estratégias que permitam que a evangelização ultrapasse as limitações de tempo e espaço. Assim, poderá alcançar ainda mais pessoas.

Uma destas estratégias é o Marketing Digital, que traz novas ferramentas e novos formatos para evangelizar mais e melhor.

o que é Marketing Digital?

Afinal, o que é Marketing Digital?

Apesar de muitas vezes ter um conceito um tanto sugestivo, marketing digital é um conjunto de estratégias feitas no meio digital para alcançar um objetivo, seja divulgar um produto, serviço ou evento, posicioná-lo em relação a outras coisas… 

Ações que têm como objetivo tornar uma instituição conhecida, estimular relacionamentos, engajamento e desenvolver proximidade com marcas também são ações de marketing digital.

Pode parecer que tratam-se de ações que se encaixam melhor com empresas de outros setores, ou é possível desfrutar do marketing digital na comunicação da Igreja? E mais, será que é possível evangelizar através do marketing digital?

A resposta para estas duas perguntas é sim! 

Lembramos aqui que o objetivo principal do marketing digital é atrair a atenção para algo de maneira planejada. Para evangelizar ou comunicar a vida da comunidade é necessário que mais e mais pessoas estejam atentas a mensagem que a instituição entrega, certo? E para atrair mais pessoas, é preciso que o marketing digital seja bem desenvolvido.

4 Ps do Marketing na Igreja

O que são os 4 P’s do marketing e como aplicar o conceito na Igreja

O marketing tradicional tem um conceito criado por Philip Kotler chamado de 4 P’s. Eles são os quatro pilares básicos de qualquer campanha de marketing, e o sucesso de qualquer estratégia depende de sua aplicação equilibrada.

Conheça abaixo quais são os 4 P’s, e veja nossa análise de cada um deles no âmbito da evangelização:

Preço – O que o fiel “paga” para ser evangelizado?

É claro que o fiel não entrega nenhum valor monetário real em troca de evangelização, mas há um “preço” a se pagar quando ele é evangelizado. 

Ao conhecer e aceitar a evangelização, deveres são firmados a partir do momento que existe compromisso com o Evangelho: Reuniões, compromissos paroquiais e comunitários, o testemunho com a própria vida, devolução do dízimo, entre outros. 

Tudo isso é um preço que o fiel tem a opção de aceitar ou não ao ser evangelizado.

Praça – Onde encontramos os que precisam ser evangelizados?

Aqui diz respeito ao espaço de evangelização, que podem ser as comunidades, as paróquias, grupos e, cada vez mais, os meios digitais. 

Nesse ponto está a grande revolução da transformação digital na Igreja, porque são vários os novos recursos para que criemos novas formas de contato e experiência de fé, nenhuma delas substituindo o contato presencial, mas enriquecendo-o e aumentando seu significado. 

Estes espaços precisam ser primeiro entendidos para que possam ser aproveitados, e é uma forma de ficarmos atentos a exortação da “Igreja em saída”, desejo do próprio Cristo e tão afirmada pelo Papa Francisco em suas exortações apostólicas.

Produto –  O que oferecemos à comunidade?

Tratam-se dos serviços e ações evangelizadoras que são feitos na comunidade. Essas ações, tanto as que já fazemos e as que podemos planejar, tem um potencial de transformação e criação de audiência muito importante para as comunidades, e precisa ser seriamente empreendido.

Sobre este P, também temos mais materiais que convidam à reflexão e trazem novas ideias para a Pascom. Não deixe de ver aqui

Promoção – Como atrair o fiel à ação evangelizadora?

Este P diz respeito à forma de divulgação ou as ações planejadas para estimular comportamentos que queremos nos fiéis. Como atrair a atenção das pessoas? Como estimulá-las a agir? Como fazê-las refletir a espiritualidade e relacionar isso com a vivência que ela pode encontrar na prática do evangelho? 

Neste ponto é importante pensar a conexão do conceito de Promoção com outro P, o de Praça. A ação ou o conteúdo (promoção) que funciona presencialmente na instituição (praça), por exemplo, pode não funcionar da mesma forma nas redes sociais, ou o que funciona no site não é cabível no mesmo formato no aplicativo católico, e por aí vai.

SEO, Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo na igreja

O que é SEO, Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo na Igreja Católica

Como você já deve imaginar, o Marketing digital tem um escopo amplo, e há mais alguns conceitos que fazem a diferença nas estratégias de conteúdo. Estamos falando de SEO, Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo.

Vamos conceituar cada uma das estratégias para facilitar ainda mais sua compreensão:

O que é SEO

Encontrar o site de sua instituição é o primeiro passo para uma estratégia bem planejada, correto? Para isto existem meios que facilitam a busca do site de sua paróquia, diocese ou comunidade em buscadores como Google, Yahoo ou Bing, por exemplo.

O Search Engine Optimization (SEO), é um conjunto de boas práticas que deixam o site otimizado para ser melhor identificado e posicionado no ranking dos mecanismos de busca.

Um SEO bem trabalhado faz com que, para a busca do nome da sua instituição no Google, o site dela apareça pelo menos na primeira página, sem que você precise pagar um anúncio.

Mas SEO não é uma coisa só, existem dois tipos, veja:

SEO On Page

SEO on page são boas práticas reconhecidos pelos buscadores como peças importantes dentro das páginas, em sua estrutura de programação, e que tornam seu conteúdo melhor ranqueado. 

Um site bem ranqueado não é somente com um conteúdo bem feito, mas também profissionalmente programado.

SEO Off Page

A forma que trabalhamos o conteúdo no site depois que ele está pronto também é norteado por boas práticas importantes para que cada postagem seja bem ranqueada nos buscadores. 

Fazer publicações no blog com imagens muito grandes e pesadas, por exemplo, publicar conteúdos muito curtos (abaixo de 300 palavras), deixar de citar links próprios e externos dentro da publicação, são todas pequenas práticas que, somadas, montam a qualidade do SEO do blog e esse dado é utilizado pelos buscadores para exibir o conteúdo para aquela busca na primeira página, ou não.

Para mais destas sugestões, pode ler mais aqui!

O que é Inbound Marketing?

Se você já tem algum contato com o marketing, provavelmente já ouviu algo a respeito de Inbound. Trata-se de uma estratégia que podemos chamar de Marketing de Atração. 

Sua principal função é criar conteúdos que resolvam dúvidas e compartilhem informações e conhecimentos necessários para alguém. 

Este conteúdo que você lê também é um exemplo de Inbound na medida que esclarece para os membros da Igreja como o marketing digital pode auxiliá-los em seus desafios. Ao mesmo tempo, sem deixar de apresentar a Parresia para as instituições.

Inbound Marketing e a evangelização

Aplicando um bom trabalho de inbound com planejamento, podemos atrair as pessoas para os canais de comunicação de sua instituição, gerando mais interesse da audiência nas mensagens que a paróquia/diocese envia. 

A audiência, por sua vez (na medida que criamos mais vínculos pela frequência dos conteúdos), começa a interagir, defender, pertencer. Aí é que começamos a criar a comunidade digital. 

A oportunidade de evangelização utilizando esta ferramenta é muito grande e muito boa, pois, se uma audiência com os fiéis é criada, esta tem interesse no que é dito pela instituição e assim o canal sustentará um público engajado e que dará atenção às suas mensagens. 

Marketing de conteúdo

Esta é uma ferramenta muito preciosa dentro do marketing digital, pois ela garante a educação da audiência. De que forma? 

O Marketing de conteúdo, como o nome diz, busca informar ao público por meio de conteúdos o máximo que puder a respeito do que deseja entregar. Aqui, o marketing de conteúdo na Evangelização precisa entregar formação, catequese, doutrina da Igreja e informações relevantes à respeito da vida da comunidade.

Percebe que uma ferramenta complementa a outra? Se com o inbound atraímos a audiência, com o marketing de conteúdo entregamos um assunto relevante para que eles possam estudar, fazer um aprofundamento em determinado assunto e tudo isso precisa ser feito com dedicação, pois o crescimento e os resultados são gradativos e necessitam de esforço. Não é difícil, mas é necessário ser construído.

Como ressaltamos anteriormente, todas as ferramentas juntas são parte do Marketing Digital, mas você pode estar se perguntando ainda como isso deve ser aplicado, não é mesmo? Vamos te ajudar.

Marketing Digital na evangelização

Como aplicar Marketing Digital na evangelização?

Por ser facilmente adaptável, o Marketing Digital pode ser aplicado na Igreja através de ações nas Redes Sociais, com a criação de um bom site com um blog, que  tenha a programação de postagem pensada de modo estratégico. 

Desse modo, os fiéis terão canais para estarem próximos do que é desenvolvido pela diocese/paróquia e assim o meio online se torna uma extensão da evangelização promovida pela instituição.

Também podemos usar o YouTube como plataforma de distribuição de conteúdo, o WhatsApp e também outras ferramentas que permitam a Igreja alcançar metas através do conteúdo. 

Uma série de vídeos sobre o padroeiro da instituição publicado no YouTube e redes sociais, por exemplo, poderia pedir a doação online de valores para a reforma da instituição, ou para patrocinar uma ação de caridade específica.

No post “Aumentando a Arrecadação do Dízimo usando o Marketing Digital, mostramos como isso pode ser feito.

Crie Blogs de formação católica

Mapeia assuntos que possam ser trabalhados continuamente. Ferramentas como blog suportam vários formatos de postagens e isto pode facilitar e muito a produção do conteúdo.

Depois deste texto você já poderá se preocupar com o SEO do blog, na medida que for criando os conteúdos coloque links de aprofundamento dos assuntos em outras postagens dentro do próprio blog, e também faça links com sites como Vaticano, CNBB entre outros domínios conceituados e que terão notícias e conteúdos verídicos de qualidade.

Marketing Digital de valor nas Redes Sociais

Comprometa-se com um Marketing Digital de valor nas Redes Sociais

Muitas pessoas estão conectadas através de Redes Sociais e esta é uma ótima oportunidade de falar para pessoas que querem estar ali. 

Conteúdos relevantes, mensagens, santo dia do dia, homilia diária e muito mais postagens são exemplos que dão certo em várias instituições. Converse no tom mais próximo possível do dia a dia dos seus fiéis, para que eles possam se identificar com a comunicação entregue. Temos no post “Crie conteúdos para engajar os fiéis com essas dicas práticas” mais sugestões de atuação nesses canais.

Como premissa da Igreja, a evangelização deve estar inserida no dia a dia da vida comunitária e ser seu principal objetivo. Aproveitar as ferramentas desenvolvidas, as técnicas de Marketing e tantas outras formas de comunicar é esforço para chegar a todos com a Boa Nova e assim, cumpriremos nossa missão evangelizadora.

Nas palavras do Papa Francisco, na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium:

28 – A paróquia não é uma estrutura caduca; precisamente porque possui uma grande plasticidade, pode assumir formas muito diferentes que requerem a docilidade e a criatividade missionária do Pastor e da comunidade. Embora não seja certamente a única instituição evangelizadora, se for capaz de se reformar e adaptar constantemente, continuará a ser «a própria Igreja que vive no meio das casas dos seus filhos e das suas filhas»

E se você precisar de apoio e ferramentas para ampliar a evangelização pela internet, fale com nossos especialistas!

Entrar no Grupo do Whats