Comunicação Católica

4 cuidados ao procurar ferramentas de comunicação católica

O uso das redes sociais como ferramentas de comunicação católica acontece desde que essas redes se popularizaram, concorda? Através destes canais a Igreja consegue compartilhar conteúdos que alimentam a fé da comunidade e crescem a participação deles nas atividades eclesiais.

Por aqui nós já compartilhamos ótimos trabalhos que Pastorais da Comunicação estão desenvolvendo nas mídias sociais. Mostramos como a transmissão das missas no Facebook da Paróquia Nossa Senhora das Vitórias (SC) tem aumentado seu alcance, e também como o Pe. Luiz Claudio Braga, da Paróquia Santo Antônio (SP), usa o WhatsApp, o YouTube e o Facebook para compartilhar vídeos com mensagens do Evangelho. Essas pastorais estão usando as redes sociais para alcançar o coração dos fiéis e os engajar em outra mídia da Igreja, o site, e essa dinâmica é muito poderosa. 

Como a atuação pastoral muitas vezes é voluntária e cheia de desafios, encontramos vários bons exemplos que podemos seguir (como os que citei acima), mas também vemos práticas que podem ser amadurecidas. 

Vá além das redes sociais na comunicação católica

Por exemplo, é comum vermos Pastorais da Comunicação restringindo seus trabalhos apenas às redes sociais, sem o apoio complementar de outros canais institucionais que estejam sob controle da Igreja, como um site ou aplicativo, por exemplo. Você pode estar se perguntando por que isso é ruim, certo? 

Apostar somente nas redes sociais faz com que a instituição dependa apenas da audiência que os algoritmos (códigos que fazem a rede social funcionar) entregam a elas. 

Um exemplo do funcionamento dos algoritmos pode ser notado em sua própria rede social, sabia? Digamos que você é conectado com 100 pessoas no Facebook, mas ao navegar por ela você percebe que só vê as postagens de no máximo 20 pessoas. Essa escolha do que você vê é feita pelos algoritmos, que se baseiam nas suas interações para mostrar o que mais é relevante para você (quanto mais você interage com um perfil, mais verá suas postagens, por exemplo).

No caso da Igreja, o ideal é que a instituição use as redes sociais para se conectar aos seus fiéis entregando conteúdos de valor, que redirecionam para o site da instituição e fazem dele uma referência para a comunidade. E é lá que a Pascom consegue comunicar os serviços da Igreja, reunir registros fotográficos e em vídeos, seja de homilias, realização de sacramentos ou eventos, e até mesmo facilitar a devolução do dízimo para os seus fiéis. 

Outro benefício dos sites é a possibilidade do uso de blogs para compartilhar conteúdos em texto. Esses conteúdos podem ser criados pela própria Pascom, quanto podem ser um trabalho em conjunto entre várias pastorais.

Considerando que ferramentas como sites e aplicativos são importantes, você sabe dizer quais cuidados são necessários na hora de procurar empresas parceiras? Vamos ajudá-lo a responder essa com algumas dicas!

Busque ferramentas que abraçam toda a experiência do fiel

1 Busque ferramentas que abraçam toda a experiência do fiel

Neste texto nós falamos de que forma a experiência que o fiel tem com as redes sociais pode ser complementada pela utilização do site. Esse é um conceito bastante importante no universo do marketing digital, o conceito de jornada do usuário. Já ouviu falar dele?

Digamos que você está buscando comprar uma televisão nova, como você faz? Algumas pessoas vão em algumas lojas para conhecer modelos e comparar preços,  outras fazem também uma busca na internet para saber se há reclamações sobre uma marca ou modelo, por exemplo. 

Todos esses pontos de contato que a pessoa tem com a marca e o produto compõe a jornada deste usuário, e as empresas que comunicam para eles buscam trabalhar estratégias de comunicação apropriadas para cada um destes espaços (no online, na loja física, nas redes sociais, e-mail, etc). 

Na Igreja também podemos aplicar este conceito. Nós criamos conteúdos para as redes sociais para engajar com nossos fiéis enquanto eles estão interagindo com sua família e seus amigos nos momentos de lazer. 

Quando o fiel quer buscar informações e conteúdos sobre a Igreja ou um serviço da secretaria, ele tira essa dúvida no site da instituição. 

Além disso, quando a Igreja quer divulgar eventos, o canal mais efetivo para alcançar a comunidade rapidamente pode ser o e-mail, por exemplo, ou uma notificação enviada no aplicativo da Igreja que o fiel tem instalado em seu smartphone.

Pelo e-mail a Pascom envia um disparo falando da festa do padroeiro, e ainda no trabalho o fiel recebe o convite para antecipar a compra dos ingressos com um pequeno desconto. Clicando no link do e-mail, é redirecionado para o aplicativo, onde pode fazer a compra com seu cartão de crédito ou débito, sem taxas adicionais.

Percebe? As ferramentas se integram no decorrer da jornada do usuário ou, para nós, da jornada do fiel

Se este exemplo chamou sua atenção, veja aqui como o Clube Parresia pode abraçar a jornada do seu fiel com muita praticidade!

Prefira parceiros com experiência na comunicação católica

2 Prefira parceiros com experiência na comunicação católica

Muitas Igrejas buscam serviços de pessoas ou empresas que fazem a criação de sites e aplicativos e, por estes fornecedores não terem experiência na realidade católica, o produto final não se encaixa exatamente naquilo que a instituição precisa. 

Neste processo um tempo precioso pode ser desperdiçado, quando não, recursos financeiros importantes para a instituição. Por isso, priorize parceiros com experiência!

3 Busque ferramentas que lhe garantem autonomia

Já encontramos muitos casos de instituições que construíram sites e aplicativos com pessoas da própria comunidade ou mesmo com profissionais autônomos, e ficam dependentes dessas pessoas para todas as alterações ou postagens. 

Com o tempo, essa dependência de terceiros tende a criar várias dificuldades para a alimentação destes canais, o que piora bastante quando a instituição perde o contato com o administrador (o que também é bastante comum).

Irá sempre precisar de ajuda? Talvez esse não seja o melhor parceiro. No dia-a-dia, agilidade é importante na comunicação.

Valorize o suporte pós implementação

4 Valorize o suporte pós implementação

Começar a usar novas ferramentas nem sempre é algo fácil, o nosso suporte entende isso muito bem! Por isso, é importante optar por parceiros que se preocupam com a efetiva utilização que você está fazendo das ferramentas, e o ajudem quando necessário.

Sua paróquia começou um projeto de site com uma empresa que ajudou bastante no começo, mas os deixaram de lado com o passar do tempo? Talvez seja legal repensar a parceria, concorda?

Ao chegar neste momento, busque conhecer o Clube Parresia e nossa proposta de implementação. Nos preocupamos em gerar valor para a comunicação de sua instituição porque sabemos que ela será capaz de aumentar seu engajamento e, com isso, a fidelidade dos seus fiéis também irá crescer.